Debate sobre Marcos Legais das Políticas de Enfrentamento ao Racismo

Atualizado: 23 de Jul de 2019

Com foco em um diálogo qualificado, com o desafio de convergir as falas das historias de vida das alunas para a linha do tempo das conquistas frutos dos protagonismos de mulheres negras e homens negros.


No dia 28 de junho, a Turma A do Curso Dandaras, desvendou instrumentos para o enfrentamento ao racismo e sexismo por meio de marcos legais e resoluções, leis, decretos e estatutos das políticas de ações afirmativas no Brasil como conseqüência do protagonismo dos movimentos negros. “Durante a aula o foco é um diálogo qualificado, com o desafio de convergir as falas das historias de vida das alunas para a linha do tempo das conquistas frutos dos protagonismos de mulheres negras e homens negros”, afirma Lilian Conceição da Silva, teóloga feminista negra.

Após a fala de algumas alunas todas levantavam e se abraçavam, como sinal de reconhecimento do existir. Foto: Fayola Bispo

A disciplina focaliza os marcos legais da legislação vigente brasileira que regulamentam os direitos da população negra, bem como as estratégias para o enfrentamento ao racismo e sexismo, por parte do Estado (Resolução e Leis) e por parte da sociedade (Movimentos Sociais) numa perspectiva interseccional.

Durante dinâmica as alunas escreviam em suas pegadas as datas mais marcantes de suas vidas, seus marcos legais. Foto: Fayola Bispo

Durante a disciplina foi dada uma ênfase na voz como algo a ser utilizado, estrategicamente, como um ato de contar histórias sobre si. Pois, conforme explana a professora Lílian, “o pessoal pode se constituir como ponto de partida para a conexa entre politização e transformação da consciência”. Como, exemplo disso, foram citadas as autoras Maya Angelou, Carolina Maria de Jesus, Sueli Carneiro, Julieta Parede Carvajal, entre outras mulheres negras que usaram de sua voz, de seus pensamentos como ferramentas de luta contra as desigualdades sociais que afetam particularmente a população negra.




Texto: Maria Helena dos Santos

13 visualizações0 comentário
FAÇA UMA DOAÇÃO

Sua contribuição é muito importante e nos permite dar continuidade aos nossos projetos.

Doação por Depósito

Akanni Instituto de Pesquisa e Assessoria em Direitos Humanos, Genero, Raca e Etnia
CNPJ 07.825.270/0001-80

 

Banco do Brasil
Agência 3334-0 
Conta Corrente 24.546-1

Doação Online

Em breve vamos disponibilizar um canal para doação online.

Doação por Telefone

Ligue para nossa equipe, que a gente manda recolher a doação:

(51) 3557-3627

Doação por E-mail

Envie um e-mail e diga-nos como você quer ajudar. Vamos até você!

Travessa do Carmo, 152 / Sala 404

Cidade Baixa - Porto Alegre - RS

(51) 3557 3627

© 2019 INSTITUTO AKANNI. Desenvolvido por EL PINGÜINO DESIGN

  • Facebook